Home / Notícias / São Caetano do Sul terá sua primeira Delegacia da Mulher

 

thiago-padial-site


delegacia-mulher
São Caetano do Sul terá sua primeira DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) ainda em 2020.

Considerada uma ferramenta fundamental para o combate à violência contra a mulher, a DDM é uma iniciativa do deputado estadual Thiago Auricchio foi anunciada nesta terça-feira num encontro do parlamentar com o vice-governador Rodrigo Garcia, no Palácio dos Bandeirantes, sede do Governo do Estado, em São Paulo.

“A conquista da Delegacia da Mulher mostra a importância de São Caetano do Sul ter um deputado estadual defendendo os interesses dos nossos moradores na Assembleia Legislativa e junto ao governo do Estado. É um equipamento fundamental no combate à violência contra a mulher, o que infelizmente ainda é uma triste realidade no País. Com a Delegacia, oferecemos um canal direto, acolhedor e humano para o relato de abusos, além de protegermos as mulheres contra qualquer tipo de agressão”, relatou o prefeito José Auricchio Júnior.

A DDM deverá ser instalada no 2º DP de São Caetano, que fica no Bairro Santa Maria e o objetivo é que o espaço tenha seus trabalhos iniciados, após inspeção e obras de adaptação que serão realizadas pela Seohab (Secretaria de Obras e Habitação).

O deputado estadual Thiago Auricchio encontrou-se no início do mês com representante do Demacro (Departamento de Polícia Judiciária da Macro São Paulo) com intuito de discutir o assunto. “A Delegacia da Mulher é uma demanda antiga de São Caetano, único município entre Santo André, São Bernardo, Diadema e Mauá que ainda não possui uma DDM. Felizmente, chegamos ao desfecho que eu sempre imaginei. O governador João Doria entendeu a importância do nosso pleito e teve sensibilidade em atender essa demanda que será de enorme valia para o combate da violência contra a mulher em São Caetano do Sul”, relembrou Thiago Auricchio.

O deputado estadual explicou que o atendimento da DDM poderá ser por 24 horas e que isso está sob análise. “É um benefício realizado majoritariamente por mulheres, que sofrem algum tipo de agressão. O mais importante é que essas mulheres não precisarão mais se locomover até outras cidades para realizarem a denúncia”, finalizou Thiago Auricchio.


- Fonte, foto e texto: PMSCS


*COMPARTILHE: